Promotora pede até 25 anos de prisão por crimes na Bósnia

A promotora-chefe do Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII), Carla del Ponte, pediu hoje uma pena de 15 a 25 anos de prisão para a ex-presidente da República Sérvia da Bósnia, Biljana Plavsic, que se declarou culpada da acusação de crimes contra a humanidade. O pedido - indicou Del Ponte - deveria ter sido de prisão perpétua, se a acusada não tivesse apresentado uma declaração admitindo sua culpabilidade. Os juízes deverão reunir-se no final do interrogatório para estabelecer a pena definitiva. Ao mesmo tempo, a defesa de Plavsic pediu ao tribunal que não aplique condenações superiores a oito anos, devido à idade avançada da acusada. Os advogados de defesa destacaram que qualquer condenação superior aos oito anos equivaleria para sua cliente - que já completou 72 anos - a uma pena de prisão perpétua. "Estabelecer uma pena superior - observou a defesa - seria, além disso, um fator de dissuasão para qualquer um que, na ex-Iugoslávia, pretendesse seguir o exemplo de Plavsic, entregando-se voluntariamente ao TPII". Os juízes não estabeleceram data para promulgar a sentença definitiva. Plavsic poderá permanecer em liberdade condicional até o julgamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.