Promotores pedem a tribunal internação de Breivik

Promotores pediram nesta quinta-feira ao tribunal que julga o ultradireitista Anders Behring Breivik, autor confesso do duplo atentado que deixou 77 mortos na Noruega em julho do ano passado, que ele seja internado numa instituição psiquiátrica em vez de ser condenado a prisão.

AE, Agência Estado

21 de junho de 2012 | 13h04

Se o tribunal aceitar o pedido, numa decisão que deve ser anunciada no mês que vem, Breivik se livrará de responsabilidade criminal pelo maior massacre do país em tempos de paz. Desta forma, os ataques não seriam considerados atos de terrorismo político, mas sim o trabalho de um "maníaco sedento por sangue".

"Nós solicitamos que ele seja transferido para tratamento psiquiátrico obrigatório", disse o procurador Svein Holden, ao fazer suas considerações finais.

Embora não haja evidências concretas de que Breivik estava psicótico durante os ataques, há dúvidas suficientes sobre sua sanidade que impediriam sua prisão pela lei norueguesa, argumentou Holden.

A defesa deve refutar a tese de insanidade nesta sexta-feira, último dia do julgamento, que começou há dez semanas. Breivik, que se descreve como militante antimuçulmano, alega ser mentalmente são e atribui os ataques a sua orientação política.

Breivik está sendo julgado pelo assassinato de oito pessoas em Oslo e de outras 69 na ilha de Utoya. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Noruegamassacre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.