Promotores venezuelanos acusam jornalista de calúnia

Promotores venezuelanos acusaram o jornalista Napoleon Bravo de calúnia. Segundo a promotoria, Bravo questionou, em juízo, se "o Supremo Tribunal de Justiça é bom", e, em seguida, sugeriu: "Por que eles não põem um prostíbulo lá?" Bravo é acusado de insultar o Tribunal de Justiça durante seu programa televisivo, o 24 Horas. Bravo e outros críticos argumentam que Chávez controla quase todas as instituições democráticas venezuelanas, incluindo o Supremo Tribunal de Justiça e a Procuradoria Geral.Por outro lado, o presidente acusa a mídia oposicionista de conspirar contra seu governo. Ele ameaçou fechar qualquer estação de TV que incite a violência. Os proprietários de meios de comunicação acusam Chávez de intimidar a mídia local e limitar a liberdade de imprensa. Para eles, os discursos inflamados do presidente contra a mídia em geral e contra jornalistas inspirou seus simpatizantes a atacar fotógrafos, repórteres e cinegrafistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.