Shannon Stapleton/AP
Shannon Stapleton/AP

Promotoria de Nova York pede retirada de acusações contra Strauss-Kahn

Advogado de camareira afirma que juiz 'nega o direito de justiça a uma mulher vítima de violação'

estadão.com.br

22 de agosto de 2011 | 17h06

NOVA YORK - A Promotoria de Nova York solicitou a um juiz nesta segunda-feira, 22, a retirada das acusações de abuso sexual contra o ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn. Detalhes sobre o pedido não foram divulgados, mas acredita-se que os promotores tenham pedido a anulação de todas as sete acusações.

 

O francês enfrentava um processo por ter supostamente abusado de uma camareira do hotel em que estava hospedado em Nova York. Ele chegou a ser preso por mais de um mês, mas foi solto após pagar fiança.

 

A solicitação da promotoria nova-iorquina ocorre no mesmo dia em que os advogados de Nafissatou Diallo, a camareira guineana que acusa Strauss-Kahn, pediu o afastamento do juiz responsável pelo caso. Kenneth Thompson, advogado da acusadora, afirmou que Cyrus Vance, o magistrado, "nega o direito de justiça a uma mulher vítima de violação".

 

Nafissatou, Thompson e os promotores tiveram uma breve reunião nesta segunda, na qual ficaram sabendo sobre a decisão do pedido para a anulação do processo, que pode ter ocorrido devido às questões sobre a credibilidade da acusadora. As autoridades acreditam que as evidências obtidas até agora não são o suficiente para provar que houve uma relação sexual forçada entre ela e Strauss-Kahn.

 

Com informações das agências Reuters e Efe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.