AP Photo/Mary Altaffer
AP Photo/Mary Altaffer

Promotoria de NY considera investigar Cohen por evasão fiscal

Segundo fonte familiarizada com o assunto, a promotora-geral Barbara Underwood quer saber se o ex-advogado e braço direito de Trump também deixou de pagar impostos estaduais

O Estado de S.Paulo

24 Agosto 2018 | 04h14

NOVA YORK - A Promotoria-Geral de Nova York está considerando abrir uma investigação criminal contra Michael Cohen, o ex-advogado e braço direito do presidente americano Donald Trump, sobre supostas violações às leis tributárias do Estado. Nesta semana, Cohen se declarou culpado em cinco acusações de evasão fiscal em nível federal.

De acordo com uma fonte com conhecimento sobre a ação, a promotora-geral Barbara Underwood solicitou ao Departamento de Tributação e Finanças de Nova York um encaminhamento criminal contra Cohen, medida vista como o primeiro passo para uma investigação formal por violação à lei tributária. A Promotoria se negou a comentar o assunto e o porta-voz do Departamento de Tributação não foi encontrado pela reportagem.

O advogado de Cohen, Guy Petrillo, não quis comentar o assunto.

O caso foi revelado pelo jornal The New York Times.

Nesta semana, Cohen se declarou culpado de evasão fiscal e deve pelo menos US$ 1,4 milhões em impostos federais. O ex-advogado também confessou o pagamento a duas mulheres, a mando de Trump, para silenciá-las sobre os supostos casos extraconjugais que tiveram com o magnata. 

A decisão judicial contra Cohen deverá ser proferida em dezembro e ele pode enfrentar de quatro a cinco anos de prisão pelos crimes federais. 

Em outro caso, o Departamento de Tributação e Finanças emitiu uma intimação para Cohen prestar esclarecimentos sobre a Donald J. Trump Foundation, fundação de caridade do presidente americano. O advogado indicou que irá colaborar com essas investigações. //ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.