Promotoria de Roma abre investigações sobre ameaças ao papa

A Promotoria de Roma decidiu nesta quarta-feira investigaras ameaças realizadas nos últimos dias contra o papa, a Santa Sé e acidade de Roma em sites supostamente vinculados a organizaçõesterroristas islâmicas. As investigações são coordenadas pelo responsável do grupoantiterrorista da Promotoria de Roma, Franco Ionta, e pretendemverificar se estas ameaças podem ser consideradas crimes deinstigação a cometer atentados contra um Chefe de Estado (o papaBento XVI), a delinqüir e a cometer atentados no Vaticano e em áreasLimítrofes. Após o discurso pronunciado em 12 de setembro por Bento XVI nauniversidade de Regensburg, apareceram mensagens em vários sitesameaçando o papa e estimulando os internautas e cometerem atentadosna Cidade do Vaticano e em Roma. Ionta ordenou às forças de segurança que realizem uma meticulosainvestigação nos sites nos quais apareceram as ameaças, com aintenção de chegar até os responsáveis pelas mensagens. As ameaças terroristas levaram o governador civil de Roma,Achille Serra, a reforçar todos os serviços de segurança na capital. "Não existe uma ameaça específica, mas estaríamos nos escondendosenão tomássemos consciência da situação. Os serviços de segurançaserão reforçados e a atenção será redobrada", afirmou Serra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.