Efe
Efe

Promotoria defende internação de terrorista norueguês

Anders Behrin Breivik matou 77 pessoas em chacina em julho de 2011

21 de junho de 2012 | 13h04

COPENHAGUE - A promotoria norueguesa solicitou nesta quinta-feira, 21, que o ultradireitista Anders Behring Breivik seja internado em um centro psiquiátrico pelos atentados de 22 de julho de 2011, quando morreram 77 pessoas, ao não considerá-lo penalmente responsável.

Veja também:

linkAssassino norueguês é doente, mas não psicótico, diz perito

linkAmigos suspeitavam que Breivik estivesse deprimido

linkBreivik operou nariz para ter aparência 'mais ariana', diz amigo

Há "claros sinais" de que Breivik não se encontrava em estado psicótico ao cometer os atentados, mas o primeiro relatório psiquiátrico, que o diagnosticava como esquizofrênico paranóico, "apresenta uma dúvida real", sustentou o promotor Svein Holden.

A incerteza sobre a responsabilidade penal de Breivik, acentuada pelo segundo relatório que não o considerou psicótico, é peça-chave para a promotoria, que atua segundo o princípio de que "é pior condenar um psicótico à prisão do que um não psicótico a tratamento psiquiátrico".

Holden ressaltou na audiência, transmitida ao vivo pela televisão pública norueguesa "NRK", que é "difícil" apresentar objeções à opinião dos primeiros psiquiatras sobre os "delírios de grandeza" que constituem a base da suposta paranoia, um diagnóstico apoiado pela Comissão de Medicina Legista.

As respostas do próprio Breivik sobre essa questão durante o julgamento, e sua "tenacidade" em defender a existência da rede terrorista "Cavalheiros Templários", fortalecem esse diagnóstico, segundo os fiscais, que acreditam que a organização não existe "como ele a descreve".

Holden admitiu, no entanto, a possibilidade de o tribunal discordar dessa opinião, por isso nesse caso, "de forma subsidiária" pediu uma pena de custódia de 21 anos para o terrorista, que reagiu com um sorriso.

A apresentação das conclusões da promotoria aconteceu na penúltima audiência do julgamento em Oslo contra Breivik, que se prolongou por dez semanas e terminará amanhã com a apresentação da defesa e com uma declaração final do acusado, que a princípio não será transmitida pela televisão.

A sentença será dada no dia 20 de julho ou em 24 de agosto, como informou anteriormente o tribunal de Oslo. Breivik disse em outras ocasiões que recorrerá se for condenado a receber tratamento psiquiátrico, porque ele se considera penalmente responsável pelos atos.Um eventual caso de apelação começaria em 15 de janeiro de 2013.

O atirador detonou no dia 22 de julho uma caminhonete-bomba na região dos edifícios governamentais de Oslo, causando a morte de oito pessoas.

Logo em seguida, foi de carro à ilha de Utoeya, onde causou um massacre a tiros no acampamento das Juventudes Trabalhistas na qual morreram 69 pessoas.

Breivik pretendia atingir o Partido Trabalhista, que considera ser o principal culpado da "islamização" da Noruega, que segundo Breivik seria uma "ameaça" à sobrevivência do povo do país escandinavo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.