Foto: AP Photo/Martin Meissner
Foto: AP Photo/Martin Meissner

Promotoria diz que ataques na Alemanha podem ter sido motivados por xenofobia

Corpo do suspeito, e de outra pessoa ainda não identificada, foram encontrados na casa dele

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2020 | 08h40

BERLIM - A Promotoria Federal da Alemanha comunicou nesta quinta-feira, 20, que há suspeita de que os dois ataques a tiro realizados durante a madrugada na cidade de Hanau tenham motivações xenofóbicas. O ataque, que tinha como alvo bares de narguilé, acabou com 11 mortos.

Um porta-voz da promotoria informou que o escritório está assumindo o caso. Nove pessoas foram mortas durante os ataques. O corpo do suspeito, e de outra pessoa ainda não identificada, foram encontrados na casa dele nas primeiras horas desta quinta.

As autoridades não divulgaram informações adicionais sobre o caso, mas comunicaram que não há indicativos de que novos ataques venham a ocorrer. De acordo com o jornal alemão Bild, o segundo corpo encontrado na casa seria o da mãe do suspeito.

A polícia disse que não pode revelar novos detalhes sobre o caso no momento, apesar da mídia alemã noticiar que o suspeito teria deixado uma carta confessando o crime e um vídeo que indica uma confusa ideologia de extrema-direita e anti-migratória.

A polícia alemã vem monitorando grupos de extrema-direita desde o ataque a uma Sinagoga na cidade de Halle, em outubro. Nesta semana, 12 membros de um grupo que planejava ataques a mesquitas, refugiados e imigrantes foram presos.

Os ataques desta quinta ocorreram em dois locais distintos da cidade. Por volta das 22h no horário local (18h no horário de Brasília), o primeiro ataque teve como alvo um bar de narguilé chamado ‘Midnight’, de acordo com a imprensa alemã. Três pessoas morreram no local após oito ou nove disparos de arma de fogo. Segundo o jornal Bild, entre as vítimas estariam imigrantes curdos.

Logo em seguida, o suspeito - ou suspeitos, uma vez que a polícia não confirmou o número de envolvidos no caso - realizou um novo ataque na região de Kesselstadt, à oeste do centro da cidade.

Informações iniciais davam conta de que um suspeito teria sido detido no local e um homem foi fotografado sendo algemado, sendo posto em custódia pela polícia. Porém, quando questionado, o porta-voz da polícia negou que tenha havido a prisão de suspeitos no caso.

"Foi uma noite terrível que certamente nos ocupará por muito, muito tempo e vamos nos lembrar com tristeza", disse o prefeito de Hanau, Claus Kaminsky, ao jornal Bild. A parlamentar Katja Leikert, membro do partido de Angela Merkel que representa Hanau no parlamento alemão, twittou que era "um cenário de horror real para todos nós". / THE WASHINGTON POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.