REUTERS/Kacper Pempel
REUTERS/Kacper Pempel

Proposta da Polônia sobre envio de caças à Ucrânia não é 'sustentável', diz Pentágono

Varsóvia anunciou que entregaria 28 caças de origem soviética aos EUA para serem repassados às forças ucranianas; logística para envio das aeronaves de combate a Kiev é entrave

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2022 | 21h27
Atualizado 16 de março de 2022 | 12h27

O Pentágono anunciou nesta terça-feira, 8, que a oferta da Polônia de entregar seus caças MiG-29 aos EUA para que possam ser repassados para a Ucrânia levanta sérias preocupações para a Otan e que o plano não é "sustentável".

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, disse em comunicado que a perspectiva de jatos partindo de uma base dos EUA/Otan na Alemanha para voar para o espaço aéreo contestado com a Rússia na guerra da Ucrânia é preocupante. 

"Continuaremos a consultar a Polônia e nossos outros aliados da Otan sobre essa questão e os difíceis desafios logísticos que ela apresenta, mas não acreditamos que a proposta da Polônia seja sustentável", disse Kirby.

Mais cedo, a Polônia anunciou que entregaria todos os seus caças MiG-29 aos EUA, para que fossem enviados às forças armadas da Ucrânia, enquanto enfrenta forças invasoras russas.

O Pentágono não fez comentários imediatos sobre o anúncio, mas funcionários de alto escalão dos EUA se mostraram surpresos - antes mesmo de Kirby vir a público.

"Que eu saiba, não foi pré-consultado conosco que eles planejam entregar esses aviões para nós", disse a subsecretária de Estado dos EUA, Victoria Nuland. Ela disse a legisladores americanos que soube da proposta enquanto dirigia para testemunhar sobre a crise na Ucrânia perante a Comissão de Relações Exteriores do Senado.

A Ucrânia tem pedido mais aviões de guerra e Washington está analisando uma proposta sob a qual a Polônia forneceria à Ucrânia caças da era soviética e, por sua vez, receberia F-16 americanos para compensar sua perda. Pilotos ucranianos são treinados para pilotar caças da era soviética.

O Ministério das Relações Exteriores da Polônia anunciou em comunicado que a Polônia estava pronta para entregar os jatos à Base Aérea de Ramstein, na Alemanha, de forma imediata e gratuita. “Ao mesmo tempo, a Polônia solicita aos Estados Unidos que nos forneçam aeronaves usadas com capacidades operacionais correspondentes”, afirmou.

O governo polonês também apelou a outros proprietários de jatos MiG-29 para seguirem o exemplo. A Bulgária e a Eslováquia, ex-representantes do bloco soviético e atuais membros da Otan, também ainda têm caças de fabricação soviética em suas forças aéreas.

A entrega dos 28 MiG-29 de fabricação soviética da Polônia sinalizaria a determinação ocidental de fazer mais para deter a Rússia, mas militarmente seria improvável que fosse um divisor de águas. O número de aeronaves é relativamente pequeno e os MiG-29 são inferiores a aeronaves russas mais sofisticadas e podem ser presas fáceis para pilotos e mísseis russos.

A Rússia alertou que o apoio à força aérea da Ucrânia seria visto em Moscou como participação no conflito, o que abriria caminho para possíveis retaliações./ AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.