Propriedade da Máfia transformada em centro de jovens

Uma fábrica de pregos que os mafiosos usavam para execuções e reuniões de cúpula foi convertida em centro para a juventude, como parte de uma tentativa de dar melhores usos a propriedades confiscadas da Máfia italiana.Policiais especializados em Máfia juntaram-se, hoje, a jovens para a inauguração do centro em Bagheria, a leste de Palermo. Posters nas paredes mostravam fotos de violência sob o título ?Máfia? Não, obrigado?.Desertores da Máfia contaram que a fábrica era usada pela conhecida família Corleone para matar opositores e esconder os corpos. Servia também às reuniões do mais procurado fugitivo mafioso, Bernardo Provenzano.O principal promotor de Palermo, Pietro Grasso, afirmou que ?estamos passando aos jovens uma mensagem contra a criminalidade e devolvendo aos cidadãos uma propriedade que pertenceu à Máfia a fim de dar-lhe melhor uso?.A fábrica, no valor de centenas de milhões de euros, manterá uma parte produtiva para fabricação de massas, vinho e azeite, enquanto outras sediarão um quartel de polícia e escola, além do centro da juventude.A família Corleone foi um dos mais conhecidos clãs mafiosos italianos, responsáveis por numerosos crimes nos anos 80 e 90. Era chefiada pelo ?capo di capi? Salvatore Toto Riina e era implacável no assassinato dos que se opunham a ela.A polícia prendeu Riina em 1993 e as autoridades acreditam que Provenzano tomou seu lugar na Máfia siciliana. Ele é um fugitivo da polícia há 40 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.