Proprietário de rede de TV é preso na Tunísia

O proprietário da rede de televisão privada 'Hannibal TV', Larbi Nasra, próximo da família política do presidente deposto Ben Ali, foi preso neste domingo sob a acusação de 'alta traição' e 'tentativa de atentado contra a segurança de Estado', segundo informações da agência oficial da Tunísia, TAP.

EFE,

23 de janeiro de 2011 | 16h08

 

Veja também:

Protesto na Tunísia aumenta pressão pela renúncia de premiê

 

De acordo com a agência oficial, Nasra tentou, através de sua rede de televisão, favorecer o retorno do presidente deposto ao poder e 'atrapalhar a revolução dos jovens, semear a desordem e incitar a desobediência civil'.

 

'A Hannibal TV difundiu informações falsas com o objetivo de criar um vácuo constitucional, sabotar a estabilidade do país e empurrar o caos', disse a TAP, que cita uma 'fonte autorizada'.

 

Larbi Nasra era conhecido na Tunísia como um dos homens do clã dos Trabelsi, família política de Ben Ali.

 

Segundo fontes governamentais afirmaram à Agência EFE, a polícia encontrou, durante busca em sua casa, várias armas e sua TV saiu do ar neste domingo.

 

As acusações contra ele são similares às que pesam sobre o chefe da guarda presidencial do antigo presidente, Ali Zariati, preso na semana passada quando tentava abandonar o país, próximo à fronteira com a Líbia, segundo as mesmas fontes.

 

A agência oficial do país anunciou também neste domingo as detenções do ex-ministro do Interior e atual presidente do Senado, Abdalá Kallel, e de Abelaziz Bendhia, antigo funcionário pela Defesa e principal assessor de Ali.

 

Ambos estão em prisão domiciliar, de acordo com a TAP, que também afirmou que um terceiro sócio do presidente deposto, Abdelwahab Abdalá - ex-ministro conselheiro de Ali que controlou por muitos anos, com mãos de ferro, os meios de comunicação do país - 'está sendo investigado'.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.