Prosseguem confrontos entre militantes do Fatah e do Hamas

Pelo menos dois policiais palestinos ficaram feridos na manhã deste sábado, na cidade de Khan Yunes, no sul da Faixa de Gaza, em um novo confronto entre militantes do Fatah e do Hamas, disseram fontes policiais.Nove pessoas já haviam ficado feridas em enfrentamentos ocorridos na noite de sexta-feira na cidade, após a vitória do movimento radical islâmico Hamas nas eleições legislativas. Dentre elas estavam cinco policiais da Autoridade Nacional Palestinas (ANP).Os confrontos coincidem com violentos protestos de militantes do Fatah, que exigem a renúncia do presidente da ANP, Mahmoud Abbas, e de todos os dirigentes do Comitê Central, que os manifestantes culpam pela derrota nas urnas.Mais de mil ativistas, alguns deles armados, participaram na noite da sexta de um protesto em frente à residência de Abbas em Gaza.Os manifestantes exigiam a renúncia dos veteranos dirigentes do movimento nacionalista fundado no final dos anos 1950 por Yasser Arafat. Também reivindicavam que o Fatah não participe de um governo comandado pelo Hamas.Foi o que prometeu o ministro de Assuntos Civis da ANP, Mohammed Dahlan, eleito em Khan Yunes, a uma multidão de aproximadamente 20 mil manifestantes do Fatah, concentrados na sexta-feira em frente à sede do Parlamento em Gaza, onde vários carros foram incendiados.Dirigentes do Hamas chamaram seus adversários do Fatah e dos demais partidos e grupos que participaram das eleições a formar um governo de união nacional. O próximo governo da ANP deve assumir no final de março. Por enquanto, em um clima político tão tumultuado e violento, é imprevisível qual será sua formação. Se o Fatah insistir em não participar do governo a ser formado pelo Hamas, o movimento islâmico pode constituir um Executivo formado por tecnocratas.Israel, que pelo menos por enquanto se nega a negociar com o Hamas, e os Estados Unidos seriam sérios empecilhos para os políticos radicais islâmicos. Israelenses e americanos, assim como a União Européia, consideram o Hamas uma organização terrorista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.