Prostitutas indianas querem pagar impostos

Um estado indiano rejeitou nesta sexta-feira uma proposta de prostitutas que querem pagar impostos, em troca do fim de batidas em bordéis e revistas em seus clientes. Autoridades do estado de Bengala Ocidental afirmaram que, já que a prostituição é ilegal, o governo não pode taxar os profissionais do sexo. "Amanhã, criminosos irão dizer ´nós pagaremos impostos, então não nos prendam´", disse Raj Kanojia, uma importante autoridade da polícia do estado. Na quinta-feira, o Comitê de Durbar Mahila Samanwaya - um grupo de 65 mil profissionais do sexo em Bengala Ocidental - anunciou que as prostitutas cobrariam mais dos clientes para ajudar a pagar os impostos. "Se recolhêssemos uma única rupia de cada cliente, isso iria alavancar o tesouro nacional", disse Smarajit Jana, chefe-consultivo do comitê. "Deixe o governo recolher os impostos legalmente. As prostitutas pagam, de qualquer maneira, grandes quantias de dinheiro à polícia para não serem presas". Cerca de quatro milhões de clientes visitam as áreas de prostituição sob controle do comitê todo o mês em Bengala Ocidental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.