Protestante não se reelege na Irlanda do Norte

Por uma estreita margem, o líder protestante David Trimble falhou em sua tentativa para ser reeleito líder de um governo de unidade na Irlanda do Norte, um resultado que ameaça a coalizão católica-protestante que permitiu o acordo de paz de 1998 na província britânica. Trimble, líder do Partido Unionista do Ulster, não obteve apoio suficiente por parte do lado protestante da Assembléia de 108 membros. Enquanto o lado católico apoiou Trimble por unanimidade, o lado protestante o rejeitou por 30 contra 29 votos - uma derrota fatal num sistema de eleição que exige apoio majoritário das duas partes. O resultado da votação na Assembléia - que reforça os temores dos que apóiam o acordo de paz da Sexta-Feira Santa - poderá colocar em xeque os esforços para ampliar o pacto de pacificação. Trimble anunciou sua candidatura à reeleição após o grupo separatista Exército Republicano Irlandês (IRA) apresentar, na semana passada, uma proposta de entregar um número indeterminado de armas, em cooperação com o pacto de desarmamento. Ele havia renunciado em julho, depois de o IRA se recusar a iniciar a entrega de armas em cumprimento ao acordo de 1998. Mas muitos protestantes olharam com desconfiança a nova proposta do IRA, e se recusaram a votar a favor da continuidade da coalizão governamental de quatro partidos que inclui o Sinn Fein, braço político do IRA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.