Protestantes impedem passagem católicos em Belfast

A tropa de choque da polícia britânica barrou hoje centenas de protestantes que tentavam impedir que estudantes católicas passassem por seu bairro a caminho da escola. O incidente ocorreu em Ardoyne, um distrito de maioria católica ao norte de Belfast. A maioria das estudantes - entre elas meninas de quatro e cinco anos - voltou para casa aos pranto dentro de táxis dirigidos por motoristas católicos. Enquanto os veículos passavam pela linha policial, a multidão gritava insultos para as colegiais."Isto é pior que o meu pior pesadelo. Os abusos que ouvi são inacreditáveis. Foi uma das mais selvagens experiências de minha vida", afirmou o padre Aidan Troy, que ocupa o cargo de diretor da escola Holy Cross Primary School durante o verão (boreal). Os protestantes afirmam que estavam respondendo a ataques católicos em sua vizinhança, que é separada da parte católica por uma cerca de metal. Segundo alguns manifestantes, o ato foi organizado contra os pais das estudantes, alguns acusados pelos protestantes de serem membros do Exército Republicano Irlandês (IRA)."Temos problemas com os pais e não com as estudantes. Quando eles pararem de atacar nossa comunidade, nós deixaremos que eles passem por aqui de novo", afirmou Jim Potts, líder do grupo de protestantes que bloqueou a mesma rua por duas semanas em junho. Potts - identificado pela polícia como membro da Associação em Defesa do Ulster, um grupo protestante que atacou várias casas habitadas por católicos neste verão - afirmou que o governo britânico deveria construir uma nova escola elementar para os católicos em sua própria área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.