Protesto afeta ao menos 26 voos no Brasil

A greve que paralisou a Argentina ontem forçou o cancelamento de 26 voos entre capitais brasileiras e Buenos Aires. Das três companhias aéreas que utilizam os aeroportos internacionais de Guarulhos, em São Paulo, Galeão, no Rio, e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, a maior parte dos voos cancelados foi das estatais Aerolíneas Argentinas (7 operações de ida e volta) e Austral (4 operações de ida e volta), segundo informou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

TOMÁS M. PETERSEN , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2012 | 02h07

A companhia chilena LAN teve 4 voos no Brasil afetados pela greve, mas anunciou que mais de 40 partidas com destino à Argentina foram canceladas nos países onde a empresa opera.

A assessoria de imprensa do aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, afirmou que os dois voos da companhia Aerolíneas Argentinas cancelados na tarde de ontem foram transferidos para hoje. A LAN, que opera em Guarulhos, afirmou que todos os passageiros afetados poderão realizar a mudança de data sem pagar multa, mas respeitando disponibilidade de cabine e classe.

A Anac anunciou ainda que notificou as empresas a respeito dos cancelamentos ocorridos no Brasil. As empresas têm cinco dias para oferecer assistência aos viajantes que ficaram em solo brasileiro. Caso haja descumprimento, a multa pode chegar até R$ 980 mil por voo cancelado. Passageiros em solo argentino devem recorrer às autoridades locais.

No Aeroparque de Buenos Aires, que opera voos internos e para países vizinhos, a atividade ficou praticamente paralisada, enquanto que no Aeroporto Internacional de Ezeiza, que também atende a capital argentina, mais de 20 cancelamentos ocorreram. A maioria dos terminais aéreos do interior do país teve a atividade reduzida. / COM EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.