Protesto bloqueia ponte entre Colômbia e Venezuela

Em protesto pela prisão de pelo menos oito pessoas, um grupo de manifestantes mantinha bloqueada hoje uma ponte na fronteira entre Colômbia e Venezuela, disse o tenente-coronel Raúl Antonio Riaño, comandante de operações da polícia em Cúcuta, no departamento (Estado) colombiano de Norte de Santander. O fechamento da ponte internacional Francisco de Paula Santander começou na tarde de ontem. Ela une Cúcuta com a venezuelana Ureña.

AE-AP, Agência Estado

08 de abril de 2010 | 12h52

O tenente-coronel disse por telefone que o protesto começou com 40 pessoas. Os manifestantes alegam que a Guarda Nacional da Venezuela prendeu ontem pelo menos oito pessoas que trabalham com transportes informais na região, mas as autoridades venezuelanas não se pronunciaram sobre o tema.

Riaño afirmou que normalmente ocorrem protestos assim quando há "algum tipo de inconveniente entre a guarda venezuelana e os comerciantes informais". O oficial disse que os manifestantes paralisaram a ponte com a queima de pneus. Não há registros de feridos e a passagem para pedestres da ponte segue operando, explicou o militar.

Segundo autoridades, toda semana pelo menos 400 mil pessoas cruzam a ponte nas duas direções. A ponte é uma das mais importantes rotas de passagens no centro da fronteira de 2.200 quilômetros de extensão entre os dois países. A passagem pela ponte no norte do departamento de Norte de Santander, chamada Simón Bolívar, a alguns quilômetros de Francisco de Paula Santander, ocorria normalmente.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaVenezuelafronteirabloqueio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.