Protesto contra barreiras leva milhares de palestinos às ruas

Milhares de palestinos participaram de barulhentas manifestações pela Cisjordânia neste sábado, efetuando disparos para o alto em protesto contra a construção - por parte de Israel - de uma barreira que torna inacessíveis diversos pontos do território. Esta foi uma das maiores manifestações públicas contra o emaranhado de muros, cercas e trincheiras que Israel vem erigindo dentro da Cisjordânia.As maiores aglomerações foram registradas em Nablus, Ramallah, Jenin e Qalqiliya. Esta última cidade foi totalmente isolada pela barreira israelense.Os palestinos temem que a barreira, que em muitos pontos invade suas terras, inviabilize o estabelecimento de sua pátria no futuro. Israel alega que a barreira é necessária para evitar a entrada de militantes suicidas em seu território.Corte InternacionalAs manifestações deste fim de semana antecedem três dias de audiência na Corte Internacional de Justiça para a emissão de um parecer sobre a legalidade da barreira. As audiências começarão na segunda-feira em Haia, Holanda, a pedido da Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas.No fim da noite de sexta-feira, um funcionário do governo israelense anunciou a demolição de parte da barreira de segurança. A derrubada de um trecho de nove quilômetros perto das aldeias de Baka al-Sharqiya e Zeita deverá começar no domingo, com o aparente objetivo de reduzir as críticas internacionais à construção.Palestino mortoNeste sábado, soldados israelenses assassinaram um palestino durante a madrugada perto da barreira que separa Israel da Faixa de Gaza. A vítima teria ingressado em uma área militar restrita.Um porta-voz do Exército disse não saber se o homem estava armado. Forças palestinas de segurança identificaram o homem como Osama Mghairi um policial de 32 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.