EFE
EFE

Protesto contra Charlie Hebdo termina com violência no Afeganistão

O ato começou de forma pacífica, mas um grupo de infiltrados armados teria bloqueado algumas vias, lançando pedras e atirando contra policiais no local.

O Estado de S. Paulo

31 de janeiro de 2015 | 17h04

Um protesto na capital do Afeganistão, Cabul, contrária à revista satírica francesa Charlie Hebdo terminou com confrontos violentos entre manifestantes e policias neste sábado, informaram autoridades locais.

O chefe do departamento de investigação criminal de Cabul, Farid Afzeli, afirmou que centenas de participantes do protesto se reuniram no leste da cidade durante a tarde para protestar contra a publicação de caricaturas irônicas do profeta Maomé divulgadas pela publicação francesa. Segundo Afzeli, o ato começou de forma pacífica, mas um grupo de infiltrados armados passou a bloquear algumas vias, lançando pedras e atirando contra policiais no local.

A polícia chamou reforços e disparou balas para cima com o intuito de dispersar os manifestantes. Em certo momento, a multidão tentou atacar diversos prédios do governo e um banco, mas foi impedida pelos agentes. Afzeli informou que oito participantes do protesto e um policial ficaram feridos. Ninguém foi preso e o incidente segue sob investigação. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTÃOPROTESTOCHARLIE HEBDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.