Protesto contra exército no Cairo termina em confrontos

Centenas de manifestantes egípcios pedindo um fim imediato ao regime militar entraram em conflito com rivais em roupas de civis do lado de fora do prédio estatal da mídia de Cairo, mesmo local onde 25 pessoas morreram em uma manifestação em outubro.

REUTERS

30 de janeiro de 2012 | 13h16

"Abaixo o regime militar", gritaram os manifestantes em meio ao som de tiros. Não ficou claro quem estava atirando. "Diga conselho, quem escolheu você? Foi a gangue de Mubarak que nomeou você?", gritava a multidão, referindo-se ao conselho do exército, que tem governado o Egito desde que o presidente Hosni Mubarak foi deposto, em 11 de fevereiro.

Dezenas de manifestantes entraram em confronto com um grupo de pessoas descritas como "bandidos" trazidos para atacá-los. Pedras foram atiradas entre os grupos e não houve sinal de forças da polícia ou do exército intervindo ou fazendo a segurança do prédio da mídia estatal.

"Estávamos protestando aqui pacificamente e de uma hora para outra um grupo de cerca de 50 bandidos veio das ruas paralelas cercando o prédio e nos atacando com pedras e garrafas de vidro, e nós respondemos atacando pedras de volta. Eles derrubaram nossas barracas", disse Mohamed Abdo, de 45 anos, que trabalha em elevadores.

A rádio estatal disse que moradores em uma área pobre próxima de Maspero, local da manifestação, desafiaram os manifestantes pois eles estavam perturbando lojas e o comércio na área.

Tudo o que sabemos sobre:
GERALEGITOMANIFESTACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.