Protesto contra Israel reúne mais de 20 mil na Alemanha

Na Alemanha, mais de 20 mil pessoas saíram às ruas para protestar contra a ofensiva israelense na Faixa de Gaza. A porta voz da polícia Heike Nagura, disse que apenas inúmeras bandeiras do Hamas foram apreendidas, mas que os protestos são pacíficos. O maior protesto é realizado na cidade alemã de Duisburg, a noroeste do país, e reúne cerca de 10 mil pessoas que estão atirando bolas de neve em bandeiras israelenses. O organizador do protesto, Engin Karanha, disse que os manifestantes querem mostrar "solidariedade às vítimas da Faixa de Gaza, e sinalizar que se opõem à opressão e violência em Gaza". A demonstração em Duisburg foi organizada por um braço do Milli Gorus, um grupo que defende a criação de um estado islâmico na Turquia. Na Argélia, mais de 60 pessoas saíram feridas de uma manifestação de apoio aos palestinos na Faixa de Gaza, incluindo um jornalista que está em coma, informou hoje o Ministério do Interior da Argélia. O protesto ocorreu ontem na área de maioria muçulmana em Argel, capital do país, e reuniu cerca de 30 mil pessoas. Entre os feridos estão 40 civis e 23 policiais, que foram atingidos por pedras durante a manifestação. Hocine Ben Rabii, repórter do diário árabe An-Nahar, alvejado por uma pedra na cabeça, permaneceu por mais de uma hora no local até que fosse levado ao hospital. O editor do jornal, Anis Rahmani, disse por telefone que Rabii já foi operado. O país instituiu o estado de emergência desde 1992, quando teve início a insurgência islâmica, e proíbe demonstrações públicas. A onda de violência foi desencadeada depois que jovens manifestantes enfrentaram a polícia enquanto marchavam em direção às embaixadas do Egito e dos Estados Unidos pelo bairro El Biar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.