Protesto contra mineração fere 38 no Peru, diz jornal

Pelo menos 38 ficaram feridos ontem após confrontos em Andahuaylas, no Peru, entre a polícia nacional e a população, que há nove dias está em greve contra a atividade mineira na região, de acordo com o jornal local El Comercio.

EQUIPE AE, Agência Estado

11 de novembro de 2011 | 11h03

O chefe da divisão de polícia de Andahuaylas, coronel Vincenzo Ieva, disse que cerca de 20 policiais acabaram feridos. Os conflitos também causaram um princípio de incêndio, controlado pelos bombeiros, na sede da administração sub-regional de Chanka, informa o periódico.

Segundo rádios locais, durante a tarde e o começo da noite de ontem se escutavam disparos em vários setores da província. Além disso, o fornecimento de eletricidade foi cortado em torno das 18 horas (horário local). Mesmo assim, os ânimos dos manifestantes permaneceram quentes e eles seguiram enfrentando a polícia na Plaza de Armas e nas ruas próximas.

De acordo a população, a violência teve início após o comitê executivo, formado para ouvir as demandas dos manifestantes, recusar-se a assinar um relatório sobre o que havia sido discutido durante o dia e após ministros abandonarem a reunião sem aviso prévio.

O jornal disse que o ministro da Agricultura, Miguel Caillaux, confirmou o abandono da reunião, realizada no auditório do hospital de Andahuaylas, porque seus agentes de segurança afirmaram que os manifestantes estavam fechando as ruas ao redor do hospital. "E durante todo o dia estavam gritando: ''Ou aceitam nossas propostas ou não saem os ministros''", disse ele.

Tudo o que sabemos sobre:
Peruprotestomineração

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.