Protesto contra os EUA marca 53 anos da Guerra da Coréia

Mais de um milhão de pessoas concentrou-se em praças e ruas da capital da Coréia do Norte para marcar o 53º aniversário do início da Guerra da Coréia. A manifestação transformou-se em protesto contra os "imperialistas" Estados Unidos, divulgou a agência oficial de notícias KCNA. Jornais norte-coreanos também lembraram o aniversário com pedidos para que sejam esmagadas "iniciativas dos imperialistas EUA para provocar uma guerra nuclear" na Península Coreana, acrescentou a KCNA.A agência advertiu que se a Coréia do Sul unir-se aos EUA para pressionar Pyongyang, "ela estará próxima de trazer o holocausto da guerra para a nação". Em Seul, o presidente sul-coreano, Roh Moo-hyun, marcou o aniversário exortando a Coréia do Norte a desistir de suas ambições nucleares, em troca de ajuda internacional. Lembrando que milhões de vidas foram sacrificadas durante a Guerra da Coréia, Roh disse que "tal tragédia não deveria jamais ser repetida".A Guerra da Coréia teve início com uma invasão lançada pelo Norte em 25 de junho de 1950. Ela terminou com um armistício, três anos depois. Hoje, a fronteira entre as duas Coréias continua sendo a mais militarizada do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.