Protesto contra 'pirâmides' deixa 5 feridos na Colômbia

Pelo menos cinco pessoas ficaram levemente feridas e seis foram detidas por desordens no município de La Hormiga, no departamento (Estado) de Putumayo, 500 quilômetros a sudoeste de Bogotá, na Colômbia. As pessoas protestavam por causa do colapso de uma empresa ilegal arrecadadora de dinheiro, informaram hoje autoridades. As desordens começaram ontem à noite e se estendeu na madrugada de hoje.O confronto começou quando perto de 300 pessoas se concentraram perto da casa de um dos administradores da DRFE, uma das empresas envolvidas no esquema de pirâmides. Os manifestantes saquearam a casa e tentaram incendiá-la, explicou por telefone o prefeito de La Hormiga, Leandro Romo.O grupo seguiu até os escritórios da DRFE e incendiou o local. Também ateou fogo na sede de um juizado e da promotoria, nas proximidades, segundo Romo. O prefeito pediu reforços policiais, pois o município de 46 mil habitantes - 19 mil deles na área urbana - só possui 35 policiais.O prefeito disse que os manifestantes buscavam na casa do administrador a devolução de seu dinheiro, uma quantia não determinada. O funcionário da empresa abandonou ontem o povoado e não se sabe seu paradeiro.La Hormiga é uma das localidade de Putumayo onde funcionavam escritórios das empresas ilegais arrecadadoras de dinheiro conhecidas como pirâmides. Essas buscavam o dinheiro das pessoas oferecendo lucros até superiores a 100% ao mês.A DRFE entrou em colapso por toda a Colômbia no meio de novembro, em meio a versões de que seu proprietário, Carlos Alfredo Suárez, tinha saído do país e não pagaria os clientes. Suárez é procurado pela polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.