Protesto contra queima de Alcorão deixa um morto

Um homem foi morto a tiros nesta sexta-feira, quando manifestantes atacaram com pedras uma base da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, informou a agência Reuters em seu site, citando um porta-voz do governo provincial. Autoridades estimam que milhares de pessoas tenham participado do protesto contra a intenção de um pastor norte-americano de queimar exemplares do Alcorão.

AE, Agência Estado

10 de setembro de 2010 | 08h42

A multidão se reuniu perto da base da Otan na província de Badakhshan, após as preces do feriado muçulmano do Eid, informou a agência de notícias. Algumas pessoas lançaram pedras na base comandada pela Alemanha e um manifestante foi morto a tiros, após as tropas estrangeiras abrirem fogo, segundo a Reuters. Um porta-voz da Otan em Cabul disse que a força estava ciente dos protestos ocorridos em Faizabad, capital de Badakhshan, e estava investigando o caso.

Também nesta sexta-feira, o presidente afegão, Hamid Karzai, disse que o pastor evangélico da Flórida Terry Jones "não deveria nem pensar" em queimar exemplares do livro sagrado muçulmano. Ontem, Jones afirmou que tinha desistido de seu plano, mas depois disse que poderia mudar de ideia.

Agora, Jones quer que o plano para construir um centro muçulmano perto do local onde ficavam as Torres Gêmeas seja cancelado. O pastor preparava o ato para coincidir com os nove anos dos atentados de 11 de setembro de 2001, neste sábado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAlcorãoqueimaprotestomorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.