Protesto de torcedores paralisa centro do Cairo

Um protesto de torcedores de futebol exigindo punições a torcedores rivais e a policiais acusados pela morte de 74 pessoas em um estádio paralisou ruas e uma ferrovia nesta quarta-feira no Cairo, Egito.

Reuters

23 de janeiro de 2013 | 19h26

Um veredicto para esse caso é aguardado para o fim de semana, quando o segundo aniversário do início da revolução egípcia de 2011 deve mobilizar milhares de pessoas para protestos contra o atual governo de orientação islâmica.

Os torcedores do clube Al Ahly, que tiveram papel destacado na rebelião que derrubou o regime de Hosni Mubarak, realizaram um protesto silencioso em frente à Bolsa do Cairo, paralisaram os serviços numa estação central de metrô e interditaram uma movimentada ponte sobre o rio Nilo.

As operações da bolsa não foram afetadas pela manifestação.

Pichações deixadas nos arredores alertavam para a reação caso o veredicto judicial do próximo sábado contra 61 réus fique aquém do que esperam os torcedores. "26 de janeiro: o custo do sangue é o sangue", dizia uma. "26 de janeiro: justiça ou caos", eram os dizeres em um adesivo numa parede.

O desastre de fevereiro passado em Port Said aconteceu durante um jogo do Al Ahly contra o Al Masry, time local. Muitos dos mortos foram pisoteados na confusão que se seguiu a uma invasão de campo por torcedores do Al Masry. Torcedores acusaram policiais de estimular o tumulto, como vingança pela participação da torcida do Al Ahly na revolução contra Mubarak.

(Reportagem de Shaimaa Fayed)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOCAIROTORCEDORES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.