Protesto de trabalhadores paralisa o centro de La Paz

Grandes passeatas convocadas pela Central Operária Boliviana (COB) e outros sindicatos conseguiram paralisar o centro de La Paz, em protesto contra a instituição de um bônus para os mais idosos, financiado por fundos de pensão. A COB contou com o apoio do Movimento ao Socialismo (oposicionista), o partido dos cultivadores de folha de coca que lidera a oposição no Congresso, e de outras forças para bloquear as ruas de La Paz, mas fracassou na sua tentativa de que hoje também fosse observada uma greve nacional dos trabalhadores. Em Cochabamba, o sindicalista Oscar Olivera, que exerce o controle sobre a empresa municipal de abastecimento de água da cidade, Semapa, liderou o bloqueio de algumas ruas de acesso ao centro com o apoio de trabalhadores da companhia. Uma lei promulgada há dez dias pelo presidente Gonzalo Sánchez de Lozada estabelece que o benefício, chamado Bonosol, será pago a partir de 2 de janeiro aos maiores de 65 anos, que são cerca de 400 mil. O pagamento para cada um deles será equivalente a US$ 243, e será efetuado com o dinheiro proveniente dos lucros das ações que os cidadãos bolivianos têm nas empresas parcialmente privatizadas entre 1995 e 1996. Mas como os lucros são muito baixos, a nova lei instrui as administradoras de fundos de pensão, que administram os recursos de cerca de 700 mil aposentados, para que invistam na compra de parte dessas ações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.