Protesto deixa centenas de feridos na Coréia do Sul

15 mil sul-coreanos se manifestaram contra a suspensão do embargo à carne americana

AE-AP

29 de junho de 2008 | 11h13

Manifestantes sul-coreanos entraram em confronto com a polícia neste domingo,29, em um protesto contra a retomada das importações da carne bovina norte-americana, horas depois da secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, ter assegurado a saúde do gado dos Estados Unidos.  Cerca de 15 mil pessoas - algumas empunhando canos de aço e arremessando pedras nos policiais - fizeram uma manifestação de rua em Seul na noite de sábado,28, pedindo que o governo recue da decisão para retirar a proibição às importações da carne americana.  O protesto se tornou violento depois que alguns manifestantes usaram cordas para tentar afastar os ônibus da polícia usados como barricadas para impedi-los de marchar em direção à casa presidencial. Os policiais atiraram jatos de água e usaram extintores de incêndio para repelir os manifestantes.  Os protestantes furiosos atacaram a polícia com canos de aços e pedras, enquanto que os policiais usaram cassetetes e escudos contra a multidão. O confronto deixou centenas de protestantes e policiais feridos, de acordo com a imprensa local.  Segundo a polícia, 50 manifestantes foram presos acusados de atacar os policiais e ocupar de forma ilegal as ruas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.