Protesto deixa um morto e três feridos no Afeganistão

Um afegão morreu e outros três ficaram feridos durante um protesto contra as polêmicas charges do profeta Maomé publicadas na mídia mundial, na província de Laghman, disse o porta-voz do Ministério do Interior do Afeganistão. O porta-voz do Ministério do Interior afegão, Yousif Stanikzai, disse que os incidentes foram provocados pelos "inimigos do Afeganistão", referindo-se aos rebeldes talibãs.Os protestos se espalharam por várias cidades do país. Na capital Cabul, os manifestantes que gritavam "abaixo os antiislâmicos", o que levou a polícia a mobilizar um forte esquema de segurança nas ruas.Na província de Takhar, centenas de afegãos participaram de um protesto e alguns quebraram as vidraças da prefeitura e do escritório provincial.Em Chaikal, na província de Tarwan, os manifestantes promoveram um quebra-quebra em várias dependências do governo, mas fontes oficiais asseguram que a situação já está controlada.O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, condenou a publicação das charges sobre o profeta Maomé e pediu que esse tipo de ato não se repita."Qualquer insulto ao sagrado Profeta é um insulto a mais de um bilhão de muçulmanos", assegurou Karzai, que pediu que "a imprensa e o resto do mundo respeitem a cultura e a religião das pessoas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.