Protesto em Caracas deixa um morto e 17 feridos

Pelo menos uma pessoa morreu e 17 ficaram feridas durante manifestação contra o governo em Catia, zona oeste da capital venezuelana, apontada como reduto eleitoral do presidente Hugo Chávez. Nessepaupérrimo bairro, vivem quase 2 milhões de habitantes deCaracas.Governo e oposição acusaram-se mutuamente pelo novoincidente - um dia depois do estabelecimento, por ambas aspartes, dos termos do referendo sobre a revogação do mandato deChávez, com o qual se pretende pôr fim à prolongada crisepolítica e institucional venezuelana.Centenas de antichavistas participaram da concentração,convocada pela Ação Democrática (AD), tradicional partidopolítico venezuelano que faz oposição ao governo. Chávez acusaos líderes da AD pelo que classifica de "destruição daVenezuela" quando ocuparam o poder.Testemunhas disseram que os disparos pareciam vir deruas próximas do local da concentração - todas muito estreitas,o que dificultou a dispersão dos manifestantes e também a açãodo forte esquema de segurança montado pela polícia de Caracas.O presidente Chávez se encontra hoje em Cuzco, no Peru.Amanhã, assiste à posse do presidente eleito da Argentina,Néstor Kirchner. Ele passou o poder para o vice-presidente JoséVicente Rangel, que classificou o protesto de hoje de"criminoso e irresponsável". Segundo ele, foi "um atoplanejado da oposição com o propósito de gerar violência,produzir vítimas e agredir os órgãos de segurança do Estado". "Tudo o que ocorreu hoje em Catia confirma o que vínhamos dizendo, alertando o país de que se tratava de uma provocação, em busca de um morto", acrescentou.

Agencia Estado,

24 de maio de 2003 | 19h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.