Protesto em embaixada de Israel no Cairo deixa 350 feridos

Mais de 350 pessoas ficaram feridas em um protesto, em frente à embaixada de Israel no Cairo, para lembrar a expulsão de palestinos após a criação do Estado judeu em 1948, disse a agência de notícias estatal egípcia nesta segunda-feira.

REUTERS

16 de maio de 2011 | 11h37

Centenas de manifestantes se reuniram diante da representação na capital do Egito no final de domingo, aniversário do que os árabes chamam de "Nakba", ou catástrofe.

A polícia disparou gás lacrimogêneo para forçar o recuo dos manifestantes, que romperam uma barricada na frente da embaixada, disseram testemunhas.

"Os ferimentos variavam entre o sufocamento causado pelo gás lacrimogêneo e hematomas e ferimentos leves causados pelos empurrões", disse Abdel Hamid Abaza, autoridade graduada do Ministério da Saúde, segundo a agência Mena.

A agência ainda afirmou que 353 pessoas foram feridas do lado de fora da embaixada, das quais 45 foram transferidas a hospitais.

O governo militar interino do Egito tem sofrido pressão popular para adotar uma postura mais favorável aos palestinos desde o levante que depôs o presidente Hosni Mubarak em fevereiro.

Muitos egípcios viam Mubarak, um aliado dos EUA, como brando demais com Israel e querem que o novo governo faça mais para ajudar os palestinos.

(Reportagem de Alexander Dziadosz)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOPROTESTOEMBAIXADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.