REUTERS / Jose Miguel Gomez
REUTERS / Jose Miguel Gomez

Protesto na Colômbia deixa um morto e três feridos na fronteira com Venezuela

Mototaxistas que protestavam contra a falta de combustível entraram em confronto com policiais de La Guajira, região fronteiriça com o território venezuelano

O Estado de S. Paulo

29 Setembro 2015 | 08h17

BOGOTÁ - Um protesto terminou com um morto e três feridos na Colômbia depois que mototaxistas que reclamavam da falta de combustível entraram em confronto com agentes da polícia no departamento de La Guajira, na fronteira com a Venezuela, informou a imprensa local na segunda-feira.

Segundo o jornal Diario del Norte, a violência aconteceu no município de Distracción, quando os mototaxistas que bloqueavam uma estrada que liga La Guajira à cidade de Valledupar, capital do departamento de Cesar, enfrentaram o Esquadrão Móvel Antidistúrbios (Esmad) da polícia.

O protesto foi causado pela falta de combustível nessa parte do país, que tradicionalmente se abastecia com gasolina proveniente da Venezuela.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, ordenou em 19 de agosto o fechamento da principal passagem fronteiriça entre as cidades de San Antonio e Ureña com Cúcuta, na Colômbia. A decisão foi justificada como uma medida para combater o contrabando e a violência paramilitar na fronteira.

Posteriormente, Maduro estendeu o fechamento à fronteira entre os estados de Zulia e Aprure (Venezuela), vizinhos a La Guajira e Arauca (Colômbia).

Maduro disse que, com o fechamento da fronteira, o país economizou "milhões de dólares com o combustível" que era desviado para a Colômbia, um negócio bastante rentável em razão da diferença dos preços praticados pelas duas nações, já que a Venezuela tem a gasolina mais barata do mundo. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.