Protesto na Tunísia marca morte de líder da oposição

Milhares de pessoas tomaram as ruas de Túnis, a capital da Tunísia, para marcar os 40 dias da morte de um líder da oposição que provocou protestos em todo o país, levou à renúncia do primeiro-ministro e jogou o governo em uma crise política.

AE, Agência Estado

16 de março de 2013 | 17h32

Chokri Belaid, líder do partido esquerdista Frente Popular e um crítico do partido governista, o Ennahda, foi assassinado a tiros em sua casa no dia 6 de fevereiro. A polícia prendeu quatro suspeitos pertencentes a um grupo islâmico radical pelo envolvimento no ataque, mas o governo diz que o assassino continua solto.

De acordo com a polícia, cerca de 10 mil pessoas marcharam pelas ruas da capital neste sábado, carregando cartazes com dizeres como "Quem matou Belaid?" e "Não à violência". Desde a deposição do ditador Ben Ali em janeiro de 2011, a Tunísia passa por uma transição turbulenta para a democracia. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Tunísiaprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.