Protesto reúne 150.000 pessoas contra o rei do Nepal

Aproximadamente 150.000 pessoas participaram nesta quinta-feira de um protesto no sudeste do Nepal para exigir a restauração da democracia no reino. Trata-se da maior manifestação popular ocorrida no Nepal desde fevereiro do ano passado, quando o rei Gyanendra aplicou um autogolpe e assumiu poderes totalitários.Tremulando bandeiras e exibindo faixas, os manifestantes promoveram uma passeata pelas ruas de Janakpur, cerca de 300 quilômetros ao sudeste da capital do país, Katmandu.Os manifestantes defendem o boicote às eleições municipais previstas para o próximo mês, com o objetivo de pressionar o rei a restaurar a democracia no país."Nosso objetivo é frustrar os planos de governo com relação às eleições municipais e quebrar a espinha dorsal do regime autocrático", disse Madhav Nepal, secretário-geral do Partido Comunista do Nepal, num discurso diante da multidão que participava do protesto.O rei Gyanendra demitiu o governo em 1º de fevereiro do ano passado e assumiu o poder argumentando que as administrações não conseguiam combater a corrupção, nem conter uma crescente insurgência maoísta. A violência, porém, persiste.Já houve dezenas de protestos contra o rei Gyanendra desde o autogolpe, mas a manifestação de hoje foi a maior de todas. Organizadores estimaram a multidão em 150.000 pessoas. Não haviam estimativas policiais disponíveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.