Protestos anti-austeridade atraem milhares na Europa

Protestos contra medidas de austeridade adotadas na Europa mobilizaram milhares de pessoas neste sábado em várias cidades do continente, incluindo Madri, Lisboa e Frankfurt. A intenção dos manifestantes era expressar sua insatisfação com os cortes de gastos adotados por governos da região, que estariam agravando a crise financeira ao prejudicar o crescimento e impulsionar o desemprego.

AE, Agência Estado

01 Junho 2013 | 19h29

Na capital espanhola, os manifestantes marcharam em direção à fonte de Netuno, nas proximidades do Parlamento, aos gritos de "Governo, renuncie". Em Lisboa, cerca de 15 mil manifestantes se reuniram diante da sede do Fundo Monetário Internacional (FMI) e apregoaram: "FMI, saia daqui".

A Espanha vem enfrentando uma recessão na maior parte dos últimos quatro anos e sua taxa de desemprego alcançou o nível recorde de 27,2%. Entre espanhóis com menos de 25 anos, o porcentual de desocupação é duas vezes maior. No ano passado, o setor bancário do país foi socorrido com um pacote de resgate de até 100 bilhões de euros.

Já Portugal vem tentando reduzir seu endividamento como parte de um programa de ajuda de 78 bilhões de euros concedido pela troica de credores internacionais em 2011. A troica, que exige rígidas medidas e reformas dos países da zona do euro que recebem sua ajuda, é composta pela Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI).

Outros países que receberam ajuda da troica e que também vêm implementando medidas de austeridade são Grécia, Irlanda e Chipre.

Em Frankfurt, a polícia alemã e milhares de manifestantes anticapitalistas se envolveram em um confronto perto da sede da Banco Central Europeu (BCE). De acordo com as autoridades, cerca de 7 mil pessoas participaram do protesto, organizado pelo movimento Blockupy. O confronto começou depois que policiais cercaram um grupo de cerca de 200 a 300 pessoas que se recusaram a retirar suas máscaras.

Não houve registro de feridos em Frankfurt, mas a marcha em direção ao BCE foi interrompida várias vezes por causa do gás lacrimogêneo usado no confronto. Segundo o porta-voz da polícia da cidade alemã, Erich Müller, manifestantes que tentaram romper a barreira policial também foram contidos com spray de pimenta e cassetetes.

Hoje também ocorreram protestos em Bruxelas, capital da Bélgica, e nas cidades espanholas de Barcelona, Bilbao e Valência. As informações são da Associated Press e Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Europaprotestosausteridade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.