Protestos contra a guerra reúnem milhares no Recife e em Fortaleza

Aproximadamente duas mil pessoas, segundo os organizadores - 800 para a Polícia Militar - participaram da passeata pacifista realizada no final da manhã deste sábado no Recife, em repúdio à intenção do governo dos Estados Unidos de atacar o Iraque. Em uma carta endereçada ao presidente norte-americano George W. Bush, entregue na portaria do Consulado dos EUA, o Comitê Pernambucano Contra a Guerra repudiou a iniciativa daquele país e exigiu a retirada imediata das tropas americanas do Golfo Pérsico. "Os objetivos reais dos Estados Unidos são a detenção da hegemonia do petróleo e o domínio econômico sobre o mundo", disse o coordenador do evento, e presidente estadual da CUT, Jorge Perez.Maracatus, orquestra de frevo e mais de 10 bonecos gigantes do carnaval de Olinda, liderados pelos famosos Homem da Meia Noite e Mulher do Dia, deram vida e animação à passeata que reuniu estudantes, sindicatos, movimentos sociais e partidos políticos. A caminhada teve início às 11h30, na Praça Oswaldo Cruz, bairro da Boa Vista, e seguiu para o Consulado norte-americano, onde os manifestantes queimaram uma bandeira dos Estados Unidos. Depois, o grupo seguiu até a Praça do Carmo, no centro, num percurso de aproximadamente dois quilômetros.Em Fortaleza, no Ceará, cinco mil manifestantes também saíram às ruas hoje para protestar contra a ameaça de guerra no Iraque. O grupo saiu da Praça da Bandeira com destino a Praça do Ferreira, no centro, num percurso de três quilômetros. Na Praça do Ferreira também foi lançada uma nova campanha contra a adesão do Brasil à Alca. Os organizadores esperam subsecrever um abaixo-assinado com mais de 100 mil nomes para ser enviado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.