Protestos contra eleição de Maduro deixaram 4 mortos, diz governo

Presidente do Parlamento pede investigação e responsabiliza Capriles pela violência

O Estado de S. Paulo,

16 de abril de 2013 | 11h21

 CARACAS  -  Ao menos quatro pessoas morreram durante os protestos contra os resultados da eleição venezuelana, informou a agência de notícias estatal AVN. 

 

Duas mortes ocorreram no Estado de Miranda, que engloba parte da área metropolitana de Caracas, uma em Zulia e outra em Táchira. Os três estados são redutos da oposição ao chavismo. 

 

O presidente da Assembleia Nacional, o chavista Diosdado Cabello, disse por meio de sua conta no Twitter que pedirá ao Parlamento que investigue os episódios de violência na noite de segunda-feira e responsabilizou o candidato oposicionista Henrique Capriles pelos confrontos. 

 

"Fascismo puro, perseguiram médicos, queimaram casas e quem provocou isso foi Capriles, o irresponsável", disse Cabello. "Capriles, seu fascista, me encarregarei pessoalmente que pague por todo o dano que está fazendo à pátria e ao povo"

 

Nesta terça, o presidente eleito Nicolás Maduro convocou uma marcha de partidários do chavismo para tomar as ruas de Caracas. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.