Protestos contra filme deixam 15 mortos no Paquistão

Manifestantes queimam cinema em Peshawar e governo tenta evitar mais violência bloqueando celulares em grandes cidades do país.

BBC Brasil, BBC

21 de setembro de 2012 | 14h54

O filme amador produzido nos Estados Unidos que debocha do Islã continua a provocar protestos ao redor do mundo nesta sexta-feira.

No Paquistão, foram registrados confrontos violentos, em que pelo menos 15 pessoas morreram.

O governo do país declarou esta sexta-feira "Dia Especial de Amor" ao profeta Maomé.

Em uma tentativa de acalmar os ânimos, os Estados Unidos chegaram a pagar para que fossem veiculados na televisão paquistanesa anúncios mostrando o presidente Barack Obama condenando o filme.

Mesmo assim, uma multidão saqueou dois cinemas na cidade de Peshawar, no norte do país, e a polícia abriu fogo contra manifestantes.

Para tentar prevenir novos episódios, o Paquistão bloqueou a telefonia celular em 15 grandes cidades do país.

Já o governo da França fechou embaixadas e escolas em 20 países para evitar confrontos por causa da nova publicação de caricaturas de Maomé consideradas obcenas.

Nesta sexta-feira, chegaram às bancas mais 70 mil cópias da revista francesa com 20 caricaturas que debocham da reação do mundo islâmico ao polêmico filme amador. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.