Killian Lindenburg/EFE/EPA
Killian Lindenburg/EFE/EPA

Protestos contra medidas anticovid deixam dois feridos na Holanda

Manifestantes incendiaram carros e atiraram pedras contra policiais na cidade portuária de Rotterdam

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2021 | 21h57

ROTTERDAM - Manifestantes incendiaram carros e atiraram pedras contra policiais nesta sexta-feira, 19, na cidade portuária de Rotterdam, na Holanda, em protesto contra o endurecimento das medidas anticovid no país. Os policiais responderam com tiros e canhões de água e duas pessoas ficaram feridas.

"Disparamos tiros de advertência e também tiros diretos porque a situação ameaçava a vida", disse a porta-voz da polícia, Patricia Wessels, à Agência Reuters. “Sabemos que pelo menos duas pessoas ficaram feridas, provavelmente como resultado dos tiros de advertência, mas precisamos investigar as causas exatas mais a fundo”, disse ela.

Algumas pessoas nas redes sociais divulgaram imagens de alguém que teria sido baleado pela polícia, mas a informação não foi confirmada até o momento.

Centenas de pessoas se reuniram nas ruas de Rotterdam para protestar contra os planos do governo de restringir o acesso a locais fechados a pessoas que tenham um "passe corona". O documento também está disponível para pessoas que não foram vacinadas, mas têm comprovação de teste recente negativo para a doença.

A polícia emitiu uma portaria de emergência em Rotterdam, fechando o transporte público e ordenando que as pessoas voltem para casa. Canhões de água foram posicionados e a polícia a cavalo realizou ataques para dispersar a multidão, disse a polícia.

As autoridades também pediram aos transeuntes e às pessoas que gravaram as imagens dos distúrbios que enviassem as imagens à polícia para uma investigação mais aprofundada.

A Holanda voltou a impor algumas medidas de bloqueio no último fim de semana, em um esforço para retardar o ressurgimento do contágio do coronavírus, mas as infecções diárias permaneceram em seus níveis mais altos desde o início da pandemia. /REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.