Protestos contra posse de presidente mexicano deixam cerca de 100 feridos

Os distúrbios começaram nas imediações da sede da Câmara dos Deputados, onde aconteceu a sessão solene de posse de Enrique Peña Nieto; 92 pessoas foram detidas

EFE

02 de dezembro de 2012 | 06h41

Cerca de cem pessoas foram detidas e um número similar de feridos foi o saldo dos confrontos entre policiais e manifestantes que protestavam contra a posse do novo presidente do México, Enrique Peña Nieto, em vários pontos da capital do país, segundo informaram fontes oficiais

O prefeito da Cidade do México, Marcelo Ebrard, revelou em entrevista coletiva que 92 pessoas, incluindo 11 menores, foram apresentadas à Promotoria da capital em conexão com os fatos. Dos detidos, 72 são homens e o resto mulheres, disse.

 

 

Ebrard atribuiu a violência a grupos que planejaram suas ações com antecedência com o objetivo de destruir e semear a instabilidade na cidade. "Que tem a ver isto com o que estava ocorrendo em San Lázaro?", se perguntou, em alusão à posse de Peña Nieto na sede do Congresso.

"Se alguém está indignado é a Cidade do México frente a esta agressão, e isso não vai ficar impune", declarou o prefeito, do esquerdista Partido da Revolução Democrática (PRD).

Por sua vez, o promotor da capital Jesús Rodríguez vinculou a violência a três grupos anarquistas e disse que vai verificar se outros grupos estão envolvidos.

Em entrevista coletiva anterior, Ebrard tinha desvinculado estes atos das manifestações pacíficas que o Movimento de Regeneração Nacional (Morena) e o PRD realizaram em protesto contra a posse de Peña Nieto.

A Cruz Vermelha Mexicana indicou em comunicado que no total os serviços de emergência da instituição atenderam 76 pessoas com ferimentos leves e outras 29 foram levadas para diferentes hospitais da Cidade do México.

Os distúrbios começaram muito cedo nas imediações do Palácio de San Lázaro, sede da Câmara dos Deputados, onde aconteceu a sessão solene de posse de Peña Nieto, do Partido Revolucionário Institucional (PRI), como presidente do México.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.