Gonzalo Fuentes/Reuters
Gonzalo Fuentes/Reuters

Protestos contra violência policial chegam à França e milhares vão às ruas de Paris

Manifestantes foram convocados pelo comitê de apoio à família de Adama Traoré, um negro de 24 anos que morreu após ser preso em 2016 

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2020 | 18h39

PARIS - Milhares de pessoas se reuniram nesta terça-feira, 2, em frente ao Tribunal de Paris contra a violência policial, em meio a um contexto de distúrbios pelo mesmo tema nos Estados Unidos

Os manifestantes foram convocados pelo comitê de apoio à família de Adama Traoré, um negro de 24 anos que morreu após ser preso em 2016. 

"Hoje não é apenas o combate da família Traoré, é o combate de todos vocês. Hoje, quando lutamos por Georges Floyd, lutamos por Adama Traoré", disse Assa Traoré, irmã de Adama. 

A convocação coincidiu com os protesto nos Estados Unidos após a morte de George Floyd. "O que acontece nos Estados Unidos é o mesmo que acontece na França", disse a ativista.

Em 19 de julho de 2016, Adama Traoré morreu em uma delegacia nos arredores de Paris, cerca de duas horas depois de ser preso. O caso tornou-se um símbolo de violência policial no país. 

Na semana passada, a perícia descartou a responsabilidade dos policiais, mas nesta terça-feira, uma perito contratado pela família de Traoré indicou que ele sofreu socos na barriga, técnica de detenção utilizada pelos agentes. 

A prefeitura proibiu manifestações devido à crise do coronavírus, que não permite concentrações de mais de 10 pessoas, e também ao risco de "tumultos". /AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.