Protestos de muçulmanos na China deixam 140 mortos

A mídia estatal chinesa informou que 140 pessoas foram mortas e mais de 800 ficaram feridas em protestos na província de Xinjiang, no oeste do país, onde um grupo de manifestantes muçulmanos da etnia uigur entrou em choque com a polícia.

AE-AP, Agencia Estado

06 de julho de 2009 | 03h10

A agência de notícias oficial Xinhua não forneceu mais detalhes sobre o número de mortos, mas disse que "o total ainda está aumentando". Anteriormente, a agência havia relatado que quatro pessoas tinham sido mortas em Uumqi, capital de Xinjiang, nos violentos protestos realizados no domingo por quase mil manifestantes uigures. O grupo ergueu barricadas, atacou os transeuntes e lutou contra os policiais.

Os manifestantes pediam uma investigação acerca de um conflito entre os uigures e os trabalhadores chineses da etnia Han, que ocorreu numa fábrica do sul da China no mês passado e que deixou dois mortos, segundo a mídia estatal. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.