Protestos deixam 18 mortos e 1,1 mil feridos no Egito, dizem fontes médicas

Há policiais entre as vítimas, embora não haja confirmação oficial das autoridades

Reuters

28 de janeiro de 2011 | 16h06

 

CAIRO - Os protestos desta sexta-feira no Egito deixaram ao menos 18 mortos, indicaram fontes médicas, e cerca de 1,1 mil feridos. Cinco dos mortos eram do Cairo, a capital do país, e 13 da cidade de Suez.  O país vive o quarto dia seguido de manifestações que pedem a renúncia do presidente Hosni Mubarak.

 

Veja também:

especial A revolução que abalou o mundo árabe

mais imagens Os protestos no Egito e na Tunísia

blog  Gustavo Chacra: acompanhe a situação no Egito

 

Alguns estão em estado grave. Policiais também foram feridos, mas ainda não há uma confirmação oficial sobre as vítimas. No Cairo, há 1.030 feridos, e em Suez, 75.

 

Os protestos contra Mubarak, que está há quase 30 anos no poder, começaram na terça-feira e são os maiores da história do país. O Egito realiza eleições presidenciais neste ano, mas Mubarak não anunciou se concorrerá ao cargo por mais seis anos.

 

Os distúrbios, batizados de "Dia da Fúria" por alguns ativistas na internet, foram inspirados na "Revolução do Jasmim", que derrubou o presidente da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, há duas semanas. No Iêmen também foram registradas manifestações nesta quinta.

Leia ainda:

linkManifestantes queimam a sede do partido do governo

link EUA ameaçam cortar ajuda econômica e militar ao país

linkLíder da oposição é mantido sob prisão domiciliar

 

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoMubarakprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.