Protestos deixam 2 mortos na Tailândia

Opositores cercam Parlamento e entram em choque com a polícia

AP e Reuters, Bangcoc, O Estadao de S.Paulo

08 de outubro de 2008 | 00h00

Violentos confrontos entre manifestantes antigoverno e forças de segurança deixaram ontem 2 mortos e mais de 400 feridos em Bangcoc, capital da Tailândia. Policiais usaram gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral para tentar controlar a multidão, que pede a renúncia do primeiro-ministro Somchai Wongsawat. Mais de 5 mil ativistas do partido opositor Democracia para a Aliança do Povo (DAP) cercaram o Parlamento, erguendo barricadas de pneus e arame farpado, para bloquear a saída dos políticos governistas. Acampados na sede do governo há seis semanas, os manifestantes acusam Wongsawat de ser uma marionete do ex-premiê Thaksin Shinawatra, deposto num golpe militar em 2006, após ser acusado de corrupção. Os choques com a polícia são constantes, mas os confrontos de ontem foram os mais violentos desde 1992, quando manifestantes pró-democracia enfrentaram o Exército. Além dos dois manifestantes mortos - um deles na explosão de um carro-bomba -, dois policias foram feridos a tiros e um terceiro foi esfaqueado. Os confrontos provocaram a renúncia do vice-premiê Chavalit Yongchaiyudh, encarregado do governo pelas negociações com o DAP. Ele alegou que a polícia usou violência excessiva, ignorando suas ordens.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.