Protestos isolados marcam eleição regional na Rússia

Os russos votaram neste domingo em eleições regionais, testando a força de dois partidos pró-Kremlin antes da escolha parlamentar de dezembro.Oponentes do presidente Vladimir Putin, ignorados pela mídia controlada pelo Estado e que estão atrás nas pesquisas, ficaram reduzidos a protestos isolados depois de terem sido retirados da votação por autoridades em quatro regiões, por alegadas irregularidades.Cerca de 31 milhões de eleitores poderiam votar neste domingo, 11, pouco abaixo de um terço do eleitorado total.A alta popularidade pessoal de Putin, o controle da mídia pelo Kremlin e o forte crescimento econômico da Rússia não deixam chances sérias para a oposição. A votação deve terminar no final da tarde (horário local) na porção européia da Rússia. Os primeiros resultados devem ser divulgados horas depois.Em São Petersburgo, segunda maior cidade da Rússia, o pequeno partido de oposição Yabloko exortou simpatizantes a anular as cédulas em protesto pela exclusão da legenda da eleição. Autoridades afirmam que algumas assinaturas dos documentos de registro do Yabloko foram falsificadas, o que o partido nega. "Não vamos reconhecer esta eleição, que acreditamos não ser legítima", disse à agência de notícias Reuters Maxim Reznik, chefe do Yabloko em São Petersburgo.Com a falta de competição, analistas políticos dizem que o principal interesse na eleição para 14 assembléias regionais e 87 prefeituras será medir a força do partido do poder, o Rússia Unida, frente a um novo rival pró-governo.O Rússia Justa, criado no ano passado com a fusão de três grupos menores e liderado por um homem leal a Putin, disputa sua primeira grande eleição com generosos fundos de campanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.