Protestos na Argentina têm buzinaço, panelaço e apagão

Os protestos na Argentina começaram exatamente ao meio dia (horário local), com "buzinaços" e "panelaços" no centro de Buenos Aires. Os protestos de hoje têm adesão de grande parte do comércio. No início da tarde, vários manifestantes, seguidos por táxis e carros particulares, se dirigiram à Praça de Maio, onde se encontra a sede do governo argentino.As ruas do centro praticamente foram interceptadas e o trânsito virou um caos. Por volta de 13h30 haverá uma concentração de pessoas ligadas à Igreja, no centro financeiro, que deverão protestar na porta dos principais bancos do país.Outros grupos ligados a entidades sindicais e associações começam a se concentrar em outras regiões da cidade, e às 15 horas deverão se dirigir para o Congresso Nacional.O dia de protesto vai acabar com um apagão de 15 minutos, às 20h30 (horário local). Os sindicalistas também pediram que as pessoas não usem seus telefones fixos e celulares por um período de 15 minutos, aderindo ao protesto.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.