Protestos por nova Constituição deixam cinco mortos no Marrocos, diz ministro

Corpos carbonizados foram encontrados em uma filial de um banco

AE, Agência Estado

21 de fevereiro de 2011 | 09h13

RABAT - Cinco corpos carbonizados foram encontrados em uma filial de um banco que pegou fogo durante os protestos, ontem, na cidade de Al-Hoceima, no norte do Marrocos, informou nesta segunda-feira, 21, o ministro de Interior, Taib Cherkaoui. Houve protestos ontem também na capital do país, Rabat, reunindo pelo menos duas mil pessoas.

 

Veja também:

mais imagens GALERIA: Veja imagens dos conflitos

especial Infográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

 

Os manifestantes pediam uma nova Constituição, a fim de ampliar a democracia no país. Também querem melhorias na economia e auxílio para lidar com o custo de vida crescente.

Os protestos no Marrocos também são inspirados pelos ocorridos na Tunísia e no Egito, que culminaram com a queda de governantes que estavam havia décadas no poder.

 

O alvo das manifestações de ontem no país, porém, era o Parlamento, que, segundo muitos marroquinos, não ouve as demandas populares. Aparentemente, entretanto, a população local segue fiel ao rei Mohammed VI. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Marrocosprotestosmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.