Protestos por reformas políticas se espalham pelo sul da Síria

Autoridades locais temem que onda de insatisfação no mundo árabe alcance o país

estadão.com.br

22 de março de 2011 | 19h25

Protestos por reformas políticas se espalharam em cidades do sul da Síria nesta terça-feira. As autoridades locais temem que a onda de insatisfação que varre o mundo árabe se espalhe também pelo país governado pela família Assad desde 1970.

 

Veja também:

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos na região

 

O governador da província de Daraa, onde manifestações ocorrem desde sexta-feira - com um saldo de sete mortos -, foi demitido nesta terça, mas o gesto não foi suficiente para conter a indignação dos cidadãos da região. A cidade de Nawa também registrou protestos de centenas de pessoas, assim como Sanamein, próximo a Daraa.

 

Um ativistas local disse que tropas do governo tentavam chegar à mesquita no centro histórico de Daraa, onde os manifestantes se refugiaram. Ele afirmou que foram colocadas pedras grandes nas ruas próximas à mesquita para bloquear a passagem dos agentes da repressão. Segundo uma testemunha, a maioria das lojas da parte velha de Daraa ficou fechada nesta terça.

 

Em Genebra, o departamento de direitos humanos da ONU pediu que a Síria investigasse a morte dos manifestantes em Daraa. Rupert Colville, porta-voz do escritório da ONU em Genebra, disse que o governo "deve realizar uma investigação independente, transparente e efetiva das mortes". Ele afirmou ainda que os manifestantes têm o direito de expressar suas discordâncias e serem ouvidos pelo governo. (com AP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.