Protestos seguem e oposição grega exige eleição antecipada

Governo conservador é criticado por falta de pulso em conter distúrbios

AP, AFP e Reuters, Atenas, O Estadao de S.Paulo

10 de dezembro de 2008 | 00h00

O cerco ao governo conservador da Grécia intensificou-se ontem após a oposição pedir a convocação de eleições antecipadas para pôr um fim aos violentos protestos que tomaram conta do país nos últimos quatro dias. Os confrontos entre manifestantes e policiais - iniciados depois da morte do jovem Alexandros Grigoropoulos, de 15 anos, no sábado - foram retomados na noite de ontem em pelo menos dez cidades gregas. Veja galeria com imagens do confronto "O governo não consegue lidar com essa crise e perdeu a confiança do povo", afirmou George Papandreou, líder da oposição socialista. "A melhor coisa que (o governo) pode fazer é renunciar e deixar o povo encontrar uma solução."O primeiro-ministro Costas Karamanlis, cujo partido tem a maioria por apenas uma cadeira no Parlamento, fez reuniões de emergência com líderes opositores para pedir união contra a violência. Karamanlis também pediu que os sindicatos desistam de uma greve de 24 horas programada para hoje. Os dois pedidos foram rejeitados. Os episódios de violência têm como pano de fundo o ressentimento da população com os escândalos de corrupção, o aumento da desigualdade social e a piora dos problemas econômicos. Ontem, a polícia continuou a reprimir os manifestantes, a maioria jovens, em todo o país.TUMULTO EM ENTERROMilhares de pessoas compareceram ontem ao enterro de Grigoropoulos e aplaudiram quando o caixão do jovem passou pela multidão. Do lado de fora do cemitério, policiais lançaram gás lacrimogêneo para controlar os manifestantes. Protestos também ocorreram na França, onde um grupo de gregos invadiu o Consulado da Grécia em Paris. Na segunda-feira, manifestações ocorreram em Londres e Berlim. Até ontem, os manifestantes tinham destruído cerca de 200 lojas e 50 bancos em Atenas e 20 prédios tinham sido danificados por incêndios. A polícia disse ter prendido cerca de 150.Segundo analistas, se os protestos continuarem, as chances de o governo de Karamanlis continuar no poder serão pequenas. "Os tumultos terão um impacto negativo nas pesquisas de opinião, pois o povo considera o governo fraco", afirmou Anthony Livanos, diretor do centro de pesquisas Alpha Metrics. "Se os protestos continuarem e Atenas for novamente incendiada, eleições antecipadas podem ser convocadas", disse o professor de Política Takis Kafetzis, da Universidade do Peloponeso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.