Matt Rourke/AP
Matt Rourke/AP

Protestos tomam as ruas de Baltimore e 15 policiais ficam feridos; veja imagens

Onda de protestos teve início após o funeral de um jovem negro morto sob custódia policial; governador decreta estado de emergência

O Estado de S. Paulo

27 de abril de 2015 | 18h24

(Atualizada às 21h32) BALTIMORE - A violência explodiu nas ruas de Baltimore (Maryland) e 15 oficiais de polícia da cidade ficaram feridos nesta segunda-feira, 27, durante a onda de protestos que teve início após o funeral de um jovem negro morto sob custódia policial. Os ativistas jogaram tijolos e pedras e colocaram fogo em carros na polícia. A prefeita de Baltimore, Stephanie Rawlings-Blake, decretou toque de recolher na cidade que deve durar toda a semana e afirmou que 27 pessoas foram presas. 

Manifestantes também saquearam lojas e o governador de Maryland, Larry Hogan, decretou estado de emergência. Ele também enviou 40 homens da Guarda Nacional para reforçar o time que já estava na cidade desde a semana passada. O presidente Barack Obama ligou para Stephanie e prometeu ajuda do governo federal para combater os distúrbios. 

Os atos começaram a algumas quadras do local onde ocorria o funeral de Freddi Gray, de 25 anos, e depois se espalharam para várias partes da cidade. Uma lei local alertando contra "ameaças de gangues" revoltou ainda mais os manifestantes. Os tumultos em Baltimore foram os mais violentos desde as manifestações em Ferguson no ano passado. 


Imagens de televisão mostraram grupos de manifestantes jovens subindo nos carros da polícia, após ignorar os pedidos para dispersar feitos pela polícia. Ativistas e policiais então entraram em choque. 

O capitão da polícia de Baltimore, Eric Kowalczyk, disse em breve pronunciamento que um dos policiais feridos estava inconsciente e vários tinham ossos quebrados.

Kowalczyk disse que a polícia, que inicialmente tentou usar contenção, começaria a fazer detenções e usar balas de gás lacrimogêneo e pimenta para dispersas as multidões.

A família de Gray, pastores e autoridades municipais tinham implorado para que as manifestações fossem pacíficas após algumas detenções e feridos em protestos no fim de semana.

Tensão. A polícia de Baltimore, que está investigando como Gray pôde ter sido mortalmente ferido durante sua detenção, reconheceu que não ofereceu assistência médica a ele apesar do jovem ter solicitado.

Gray sofreu um ferimento grave na coluna enquanto estava sob custódia policial. Ele foi levado para um hospital, onde entrou em estado de coma até sua morte no dia 19.

A morte de Gray aconteceu em um momento de grande tensão nos EUA entre as diferentes corporações de Polícia e os membros da comunidade afro-americana, depois que nos últimos meses aconteceram vários casos de abuso policial que resultaram em mortes. 

Outros casos como o de Eric Garner (Nova York) e Walter Scott (Carolina do Sul) ajudaram a chamar a atenção da opinião pública sobre a brutalidade policial contra negros. / REUTERS e EFE 

Tudo o que sabemos sobre:
EUAtensão racialBaltimore

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.